Ministrando como Cristo Fez

Meu mandamento é este: amem-se uns aos outros assim como eu os amei. João 15:12 (NIV)
O que realmente significa amar os outros como Jesus nos ama? Nós vemos este importante princípio reafirmado em toda a Bíblia; somos ordenados a demonstrar o amor de Jesus da mesma maneira que Ele o demonstrou por nós. Como poderia isto se manisfestar em um nível prático?
 
Em 2013, o departamento de Arquivos, Estatísticas e Pesquisas da Associação Geral realizou uma pesquisa com membros da igreja em todo o mundo. O estudo foi designado para avaliar as experiências e atitudes dos membros da igreja em relação a diferentes aspectos de suas experiências espirituais pessoais e sua participação na Igreja Adventista do Sétimo Dia. Muitas perguntas nesta pesquisa dizem respeito a maneira como os membros se envolvem no ministério e cuidam dos outros.
 
Sabemos que durante seu tempo na terra, Jesus buscou os necessitados para que pudesse atendê-los. Ele alimentou os famintos, curou os doentes, gastou tempo com os marginalizados da sociedade judaica e ministrou àqueles que eram espiritualmente necessitados. Jesus não se cercou da elite da sociedade, mas buscou aqueles que mais precisavam Dele.
 
Uma parte de amar os outros como Jesus amou significa fazer exatamente estas mesmas coisas! A pesquisa global do ASTR perguntou aos membros como eles respondem a diferentes necessidades — tanto em suas próprias comunidades, como em todo o mundo.
• Quase metade (47,1%) dos entrevistados indicaram que sentem um profundo senso de responsabilidade pela amenização da dor e do sofrimento no mundo (Q3.42).
• Quando interrogados sobre seus hábitos de doação, quase um terço (30,6%) dos entrevistados da pesquisa disseram que doam uma parcela significativa de seu tempo e dinheiro para ajudar outras pessoas (Q3.43).
• Quando perguntados se eles se preocupam com a redução da pobreza em seu país e em todo o mundo, mais de um terço (36,3%) dos entrevistados responderam que “freqüentemente” se preocupam (Q3.44).
 
Em Marcos 2, vemos a história de Jesus curando o aleijado. Contudo, antes de curar o homem, Jesus disse: “Meu amigo, seus pecados estão perdoados” (Marcos 2: 5). Jesus sabia que atender às necessidades espirituais do homem era ainda mais valioso do que satisfazer suas necessidades físicas. É importante que mantenhamos essa verdade em mente quando interagimos com os necessitados ao nosso redor. Dito isto, quais são as maneiras pelas quais os membros da nossa igreja tentam ajudar os outros em suas necessidades espirituais?
Quando perguntados se eles conversam com outras pessoas sobre sua fé, cerca de metade (50,3%) dos membros entrevistados compartilharam que eles frequentemente o fazem (Q3.49), enquanto 28% afirmaram que freqüentemente ajudam os outros em suas questões e lutas religiosas (Q3 .40). Além disso, quando perguntados se eles sentem a presença de Deus em seus relacionamentos com outras pessoas, mais da metade (54,0%) respondeu que quase sempre sim. (Q3.44).
Se realmente seguirmos o exemplo de Cristo e amarmos os outros como Ele fez, devemos sair da nossa zona de conforto em todas as facetas da vida para alcançar os outros. Nossa fé pessoal deve encontrar maneiras para uma aplicação prática. Ao fazer isso, somos capazes de seguir as instruções dadas aos seguidores de Jesus por nosso Senhor. Não é suficiente sentir um profundo senso de responsabilidade para reduzir o sofrimento no mundo ou conversar com outros sobre nossa religião, precisamos ajudar aqueles que sofrem ou lutam por sua sobrevivência ou fé.
Falando de espiritualidade, as questões discutidas acima fazem parte da “Escala de Maturidade da Fé” - fique de olho no nosso próximo blog, onde discutiremos essa escala e outros fatores que nos ajudam a medir a maturidade espiritual.
Para saber mais sobre este estudo e suas descobertas, consulte os relatórios de Pesquisa de Membros da Igreja.