Hábitos Globais de Oração Pessoal: 2013 vs. 2018

“Consagrai-vos a Deus pela manhã; fazei disto vossa primeira tarefa. Seja vossa oração: ‘Toma-me, Senhor, para ser Teu inteiramente. Aos Teus pés deponho todos os meus projetos. Usa-me hoje em Teu serviço. Permanece comigo, e permite que toda a minha obra se faça em Ti.’ Esta é uma questão diária. Cada manhã consagrai-vos a Deus para esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência. Assim dia a dia podereis entregar às mãos de Deus a vossa vida, e assim ela se moldará mais e mais segundo a vida de Cristo.” (Ellen G. White , Caminho a Cristo, 70.1)

Você faz oração pessoal diaria como uma maneira de conhecer melhor a Deus? Você leva a Ele todos os assuntos do seu coração: os bons, os ruins, o importante e o aparentemente trivial? A oração é uma das principais maneiras pelas quais podemos crescer para conhecer a Deus mais intimamente e, portanto, é uma parte central da vida espiritual.

Porque a oração é tão importante, as Pesquisas Globais de Membros da Igreja (GCMS) em 2013 e 2017-18 avaliaram como os membros do mundo inteiro integram a oração pessoal em suas vidas diárias. No estudo de 2013, os entrevistados foram perguntados se estavam envolvidos no estudo pessoal da Bíblia e na oração. Mais da metade (58%) disse que estavam muito envolvidos, e outros 20,3% relataram que se envolviam com frequência. No entanto, 12,4% admitiram que apenas algumas vezes se envolvem em estudos bíblicos pessoais e 6,5% relataram que nunca se envolvem.

 

O GCMS de 2017–18 formulou a questão de maneira um pouco diferente, perguntando aos membros com que frequência eles se envolviam em orações pessoais fora das refeições. Quase dois terços (64,9%) compartilharam que oram diariamente ou mais de uma vez por dia. Outros 17,3% disseram que fazem oração pessoal mais de uma vez por semana, enquanto 7,9% fazem isso uma vez por semana. Os 10% restantes dos entrevistados oram pessoalmente menos de uma vez por mês (5,9%) ou nunca o fazem (4,0%). Esses números são chocantes, pois indicam que mais de um terço não ora diariamente, e um em cada dez membros raramente ou nunca se envolve com o Pai Celestial por meio da oração pessoal!

O GCMS de 2013 pediu aos participantes que respondessem à declaração: "Eu oro porque fui ensinado a orar". Quase um terço (31,1%) dos entrevistados concordou fortemente e outros 18% tenderam a concordar. No entanto, 14,1% dos entrevistados tenderam a não concordar, e quase mais de um quarto (28,3%) discorda fortemente. Talvez alguns membros não estejam orando porque não sabem como fazê-lo?

Como a família é frequentemente responsável pela transmissão de práticas e valores espirituais, os pesquisadores do GCMS 2017-18 perguntaram aos membros da igreja se a oração antes das refeições era uma prática habitual em sua família de origem. A maioria (67%) concordou ou concordou fortemente que esse era o caso. Uma pequena porcentagem disse que não tinha certeza (6,9%), discordava (8,4%) ou discordava fortemente (4,4%). Curiosamente, 13,4% dos entrevistados indicaram que essa pergunta não se aplicava a eles, o que pode implicar que eles conheceram a Cristo como adultos.

Finalmente, o GCMS de 2013 perguntou aos membros da igreja se eles freqüentemente sentiam a presença de Deus. (Embora essa afirmação não esteja diretamente ligada à oração, a oração costuma ser uma experiência que a leva a essa experiência.) Mais de dois terços (69,9%) dos entrevistados concordaram firmemente que frequentemente sentiam a presença de Deus e outros 12,3% tendiam a concordar. Somente pequenas porcentagens não tinham certeza (5,9%) ou discordavam de uma forma ou de outra (2,9%).

Um vez que a oração é parte integrante do relacionamento de um pessoa com Deus, esse importante tópico não deve ser negligenciado no púlpito, nem deve ser negligenciado pelas lições da Escola Sabatina, discussão em pequenos grupos etc. Os líderes da juventude precisam dedicar algum tempo para ajudar as novas gerações a compreender a importância da oração pessoal e incorporar esse conhecimento em sua vida pessoal. Os pastores devem prestar atenção especial a esse assunto ao preparar novos convertidos ao batismo, especialmente se essas pessoas vierem a conhecer a Cristo como adultos. Curiosamente, até os discípulos de Jesus lhe perguntaram: “Senhor, ensina-nos a orar, como João também ensinou a seus discípulos.” ​​(Lucas 11:1, ARA). Assim, a oração é uma parte inseparável do discipulado. E deve ser nossa esperança que, da próxima vez que a Pesquisa Global para Membros da Igreja seja realizada, a igreja, como um todo, relate níveis mais altos de envolvimento espiritual por meio de oração pessoal.

 

Criado em colaboração com o Instituto do Ministério da Igreja


Escrito por Petr Cincala

Traduzido por Magela de Souza