Aplicam os jovens lições espirituais à sua vida diária?

Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos. (2 Coríntios 3:3)

Essas palavras inspiradoras escritas pelo apóstolo Paulo para a igreja em Corinto são o lema de todo discípulo de Cristo. Mas o que é preciso para se tornar Sua carta “conhecida e lida” (2 Coríntios 3: 2) por todas as pessoas? Hábitos espirituais, como leitura regular da Bíblia, orações pessoais, devoções, testemunho etc. são essenciais para tornar-se mais parecido com Jesus. No entanto, é a aplicação dos princípios espirituais que aprendemos que importa. Como os jovens adventistas se saem nessa área?

A Pesquisa Global para Membros da Igreja de 2017-18 (GCMS), realizada em todas as treze divisões da Igreja Adventista do Sétimo Dia, teve algumas perguntas sobre a aplicação de lições espirituais. Quando adolescentes adventistas e jovens adultos responderam a essas perguntas, uma maioria substancial (72% e 81%, respectivamente) demonstrou a prática vital de aplicação pessoal do que aprenderam da Bíblia em suas vidas. Menos que a maioria, mas ainda assim muitos (65% e 76%, respectivamente) disseram que aplicaram as lições aprendidas nos Trimestres da Escola Sabatina. Metade dos adolescentes e 64% dos adultos jovens também relataram que fizeram isso com os escritos de Ellen White. A diminuição nos números pode ser explicada por menos pessoas lendo regularmente as lições da Escola Sabatina ou os escritos de Ellen White. Como exemplo desta pesquisa, se 46% dos adolescentes e 57% dos jovens adultos disseram que estudavam as lições da Escola Sabatina diariamente ou mais de uma vez por semana, apenas 23% e 32%, respectivamente, liam os escritos de Ellen White com a mesma frequência.

No mesmo estudo, os membros da igreja também foram perguntados se o fato de serem religiosos afetava sua vida diária. Apesar do grande número de aplicações das lições espirituais à vida pessoal, apenas 37% dos adolescentes e 42% dos jovens adultos discordaram da afirmação: "Embora eu seja religioso, isso não afeta minha vida diária". A maioria dos entrevistados concordou ou não tinha certeza.

Uma equipe de pesquisadores da Andrews University, que produziu o relatório de Meta-Análise 2017-18 do GCMS, analisou as respostas da localização geográfica a algumas perguntas, com essa pergunta em particular incluída. Curiosamente, a análise desmistificou um mito comum sobre a espiritualidade percebida em contextos específicos (veja um gráfico abaixo). Ao contrário de algumas expectativas, a maioria dos jovens adventistas de 15 a 35 anos de idade em um contexto secular discordou da afirmação: "Embora eu seja religioso, isso não afeta minha vida cotidiana". Enquanto na Ásia, apenas um terço dos jovens adventistas o fizeram e menos da metade discordou dele na África, Interamerica e na América do Sul. A comparação com os resultados da leitura diária da Bíblia por território geográfico mostra que a religiosidade intrínseca não é adquirida automaticamente pela simples leitura da Bíblia. Os resultados para a leitura diária da Bíblia não foram altos para jovens adventistas em nenhum continente. Surpreendentemente, porém, em um contexto secular, embora um número não significativo (33%) leiam a Bíblia diariamente, 70% dos jovens disseram que suas crenças afetavam suas vidas diárias. Existem lacunas inesperadas entre as respostas a essas duas perguntas em cada área geográfica. Uma explicação possível é que isso pode revelar uma tendência em um contexto secular para uma abordagem individualista da religião, onde é mais um assunto privado do que uma tradição para toda a comunidade. Por outro lado, em muitas culturas orientadas para a comunidade, a fé é parte integrante da comunidade como um todo. As pessoas expressam sua religiosidade mais através das atividades externas da comunidade religiosa do que através de compromissos religiosos pessoais. Essas descobertas também apontam a necessidade de uma estratégia de discipulado focada para os jovens em todas as igrejas locais ao redor do mundo.

Mais estudos são necessários para investigar os resultados em cada contexto e as razões para a lacuna entre a alta porcentagem de respostas sobre a aplicação pessoal de lições espirituais e a baixa taxa de efeitos da religião de alguém em sua vida diária. As perguntas ainda permanecem: O que é preciso para se tornar uma carta de Cristo? Como as crenças religiosas e as lições espirituais podem se tornar parte integrante da vida pessoal dos jovens? Essa realidade desafia pais, professores, líderes juvenis e pastores. Que respostas eles encontrarão? Certamente, eles precisam mostrar aos jovens um exemplo de genuína religiosidade. E eles precisam ensiná-los a crescer diariamente nesta jornada de discipulado ao longo da vida para se tornar a carta de Cristo, onde as crenças são internalizadas e escritas nas tábuas do coração.


Criado em colaboração com o Instituto do Ministério da Igreja


Criado e traduzido pela equipe ASTR